Como prevenir a evolução da celulite | Espaço Saúde Rio

Clínica de Dermatologia e Estética

(21) 2535.9077 | 3874.3134 | Rua Jardim Botânico, 600, sala 403/404, Jardim Botânico

Como prevenir a evolução da celulite

Como-precaver-avanço-celulite

Como prevenir a evolução da celulite


Como-precaver-avanço-celulite

 

Como prevenir a evolução da celulite

 

Celulite, um dos problemas que mais incomodam as mulheres quando o assunto é a beleza do corpo, é causada pelo acúmulo de gordura, água e toxinas nas células, fazendo com que elas fiquem cheias e endurecidas.

 

Alguns fatores podem interferir no aparecimento, como questões emocionais, metabólicas e hormonais. O acúmulo de gordura, os hábitos de vida ruins (má alimentação, sedentarismo, estresse, tabagismo, etc) e o uso de roupas apertadas também influenciam no aparecimento dos temidos furinhos.

 

Hoje, vamos abordar os 4 graus de classificação da celulite e de que forma você pode se prevenir para que o problema não evolua, se mantendo estável ou até mesmo resolvido por meio de tratamentos direcionados e hábitos saudáveis na rotina.

 

Vamos conhecer? 

 

Grau 1

celulite-tipo-1

Nesse estágio, as celulites não são iguais umas às outras. Mesmo aquela pessoa com a pele lisinha, de corpo esbelto, esconde a celulite que todos desejam não ter.

 

No grau 1, elas são visíveis apenas caso a pessoa comprima uma pequena parte do corpo entre os dedos ou apenas palpando a pele. As células do tecido gorduroso que se localizam abaixo da epiderme estão volumosas, inchadas e as veias estão aumentadas.

 

Não há comprometimento circulatório.  As toxinas estão começando a se instalar, mas o prognóstico de melhora é considerado excelente.

 

Grau 2

 

celulite-tipo-2

A grande quantidade de gordura no interior das células está acompanhada de fibrose (produção excessiva de tecido conjuntivo que “endurece” a pele). 

 

Aqui, os problemas circulatórios locais começam a aparecer e a celulite pode estar visível pela modificação de movimentos do corpo ou mesmo da luz ambiente.

 

Grau 3

 

celulite-tipo-3


Aqui, você vai encontrar o famoso e tão popularizado termo “casca de laranja”, porque é com isso que a pele se parece nesse estágio, graças à formação de nódulos.

 

O portador da celulite nesse estágio pode se queixar de dor, cansaço nos membros inferiores, aumento da flacidez e aumento da sensibilidade ao toque.

 

Grau 4

Muitos estudos afirmam que não existe um quarto grau, considerando apenas até o terceiro e observando casos mais graves. No entanto, devido à ocorrência de casos bem complicados, a classificação é válida.

 

Nessa fase,  as pernas tornam-se pesadas e a pele bem marcada pelo inchaço e pelos edemas. Muitas mulheres sentem cansaço, dificuldade de locomoção e dores devido à falta de circulação adequada na região das pernas e quadril.

 

Também há a formação de nódulos, que podem ser vistos sob a roupa com facilidade.

 

O que fazer para que a celulite não evolua de um grau para o outro?

 

Se a sua celulite se encontra no grau 1, isso significa que ela é resultado do acúmulo de toxinas provenientes da má alimentação ou do excesso de tabagismo ou falta de prática de atividades físicas. Portanto, os melhores remédios são parar de fumar e mudar a sua rotina alimentar para um formato mais saudável, além de incluir a prática de exercícios físicos no dia a dia.

 

Essas adaptações já podem ‘frear’ o avanço do problema para outros graus.

 

Já para aquelas que se encontram no grau 2, é indicado procurar uma clínica de estética para avaliar um tratamento associado à mudança de hábitos na rotina.

 

Com isso, é possível que a celulite não evolua para o grau 3. A radiofrequência é uma boa alternativa, já que a técnica rompe as células de gordura, tornando-as mais fáceis de serem eliminadas.

 

 

Além disso, ela rompe a fibrose na região e estimula a síntese de colágeno. Outra técnica bastante interessante é a drenagem linfática e uma boa massagem redutora. Caso a celulite já se encontre no grau 3, significa que a situação, neste caso, está um pouco mais grave e o local da celulite pode se tornar doloroso.

 

Além da drenagem e da radiofrequência já citados para o tratamento da celulite grau 2, existe outra técnica que pode ser muito boa: a carboxiterapia. Ela usa jatos de gás carbônico que, por meio de uma agulha inserida no tecido subcutâneo, rompe a células de gordura e os nódulos formados pela fibrose.

 

Você pode dar um upgrade no seu tratamento fazendo uso de colágeno, deixando a pele menos flácida. As técnicas de tratamento não são muito diferentes das do grau 2, mas precisam de mais sessões.

 

Pode ser preciso fazer uma suplementação de colágeno, pois o organismo começa a produzir menos colágeno depois dos 30. Em alguns casos mais graves, uma lipoaspiração pode ser necessária, pois a gordura é bem localizada e difícil de perder.

 

 

 

No grau 4, o tratamento deve ser sempre acompanhado por especialistas e muitas atitudes devem ser tomadas para que a saúde não seja comprometida definitivamente.

 

Há a necessidade de um retorno à vida saudável, recomeço de exercícios e a eliminação de diversos hábitos como fumo, bebidas alcoólicas, consumo de gorduras, roupas muito justas, entre outros.

 

Já em relação a tratamentos mais específicos junto ao médico,  tudo vai depender do perfil do paciente, no entanto, a radiofrequência multipolar pode ser indicada, além de alguns remédios prescritos pelo especialista e dietas elaboradas por nutricionistas.

 

Podemos reduzir a celulite, mesmo no grau 4, em cerca de 30%. Nesse estágio, é preciso levar em conta, também, a possibilidade de se realizar uma cirurgia. O nome da técnica é Descolamento Subdérmico, no qual uma agulha é inserida no tecido para promover a quebra do tecido fibroso, aliviando as dores e melhorando o aspecto da pele.

 

Conclusão

 

Como podemos ver, existe uma ampla classificação da celulite e, para cada uma delas, um tipo de tratamento é indicado, de forma que o problema não evolua.

 

É preciso que, para solucionar/minimizar a celulite, o médico seja consultado. Só ele poderá avaliar e combinar protocolos em consultório com mudança de hábitos na rotina, como inclusão de prática de exercícios físicos, consumo de uma alimentação saudável, parar de fumar e beber, entre outros. Fique atento à sua saúde e seja o CEO da sua melhor empresa, que é o seu corpo.

 

Nós desenvolvemos um novo e exclusivo e-book com uma leitura dinâmica que mostra COMO REDUZIR CELULITE.

como-diminuir-celulite

Informações do Autor

Monica Linhares

Dra. Mônica Linhares – Médica Dermatologista
Diretora Técnica da Clínica Espaço Saúde Rio.

Saiba mais em: http://espacosauderio.com.br/clinica/

Sem comentários

Publicar comentário

/* */