Olheiras: saiba o que são e como tratá-las | Espaço Saúde Rio

Clínica de Dermatologia e Estética

(21) 2535.9077 | 3874.3134 | Rua Jardim Botânico, 600, sala 403/404, Jardim Botânico

Olheiras: saiba o que são e como tratá-las

Olheiras: saiba o que são e como tratá-las


 

olheiras

 

Haja corretivo! Inimigas da beleza, as olheiras surgem devido à alta concentração de melanina ou em decorrência do congestionamento dos vasos capilares na região ao redor dos olhos. “Fatores como cansaço, alergia, envelhecimento, excesso de sol e noites mal dormidas agravam o problema”, explica a dermatologista Monica Linhares. Entre as características das olheiras estão flacidez, bolsas de gorduras, depósito de melanina (áreas escurecidas) e/ou dermatite ocre (manchas com pigmentação acastanhada). “As olheiras podem atingir pessoas de qualquer idade, gênero e cor de pele”, orienta. Saiba como tratá-las!

Tratamentos

Entre os diversos tratamentos para olheiras, a dermatologista destaca os cremes clareadores, que amenizam a aparência escura da área, os retinóides tópicos, medicamentos que estimulam a produção de colágeno, e os peelings químicos, tratamentos que promovem a renovação da pele. Segundo Dra. Monica, outra opção de tratamento é a laserterapia. “Esse procedimentos destrói o pigmento escuro provocado pelo acúmulo de melanina e clareia as olheiras”, salienta. Também vale apostar no transplante autóloga de gordura, técnica que utiliza o tecido do próprio paciente, os preenchimentos injetáveis com ácido hialurônico, que estimulam a formação da rede de colágeno e diminuem a transparência da pele na região das olheiras, e a cirurgia de pálpebra, que remove a gordura da parte inferior da área.

Conheça nossos outros tratamentos faciais clicando aqui.

Quando o assunto é peeling químico, o mais utilizado para combater as olheiras é o de ácido tioglicólico combinado com ácido retinóico. “O ácido tioglicólico funciona em pigmentos derivados de sangue. As olheiras acastanhadas, por exemplo, são decorrentes da hemociderina, que é um depósito de ferro do sangue. Esse ácido ajuda a despigmentar a área. Já o ácido retinóico é um ótimo aliado no combate à flacidez”, diz a dermatologista.

Novidade

A novidade fica por conta da combinação desses peelings com o MeiYanol (sambucus nigra), um extrato natural com potente ação antioxidante e clareadora. Esse novo ativo age tanto no pigmento da melanina como no de ferro. “A associação de procedimentos com novos ativos é alvo dos tratamentos modernos para olheiras. A combinação de TCA (ácido tricloroacético) e ácido láctico tem excelente resultado na melhoria da hiperpigmentação ao redor dos olhos”. De acordo com um artigo publicado em 2013, o procedimento em si tem alguns efeitos adversos leves e temporários, tais como vermelhidão, inchaço, frost leve (branqueamento da pele), ressecamento e telangiectasias (aparecimento de vasos muito finos existentes na superfície da pele). “São necessárias, no mínimo, seis sessões para obtermos um resultado satisfatório. O que também inclui formulações aplicadas em casa para potencializar o peeling”, finaliza Dra. Monica.

Conclusão

Quando o assunto é olheiras, já existem diversos tipos de procedimentos e cosméticos eficazes na área dermatológica para amenizar e/ou resolver o problema. O importante é sempre consultar seu dermatologista para avaliar o grau das olheiras e selecionar a melhor estratégia a adotar para cada tipo de caso, além de rever os hábitos na rotina para ajudar no sucesso do tratamento, como evitar o excesso de sol, noites mal dormidas, entre outros.


Informações do Autor

Monica Linhares

Dra. Mônica Linhares - Médica Dermatologista Diretora Técnica da Clínica Espaço Saúde Rio. Saiba mais em: http://espacosauderio.com.br/clinica/

Sem comentários

Publicar comentário

/* */