Acne na mulher adulta | Espaço Saúde Rio

Clínica de Dermatologia e Estética

(21) 2535.9077 | 3874.3134 | Rua Jardim Botânico, 600, sala 403/404, Jardim Botânico

Acne na mulher adulta: Veja 5 tratamentos para combater esta doença

Acne na mulher adulta: Veja 5 tratamentos para combater esta doença


Se você pensa que somente os adolescentes sofrem com a acne, você está enganada! As incômodas espinhas não têm idade para aparecer e podem perturbar até 25% das mulheres maduras. “As espinhas nessa fase da vida acarretadas por alterações hormonais típicas da idade, o uso de anticoncepcional, a reposição de hormônios ou mesmo pelo consumo de suplementos”, explica dermatologista Monica Linhares. O uso de determinados medicamentos, altos os níveis de umidade e de suor, estresse e alimentação inadequada estão entre as causas. “Dietas ricas em açúcar e lactose fazem com que o corpo persista em um estado inflamatório crônico, piorando o quadro de acne”, adiciona.

Diferente dos jovens que têm espinhas e cravos pelo rosto todo, as mulheres adultas apresentam o problema sempre no mesmo lugar, nas áreas do queixo, mandíbulas e pescoço. “As lesões costumam ser mais profundas e formam pequenos nódulos avermelhados e doloridos, com menor presença de pústulas (lesões com pus). Estão presentes também cravos abertos (pretos) e fechados (brancos)”, salienta a especialista. O quadro clínico da acne pode agravar-se com o uso de cosméticos inadequados, como maquiagem, hidratantes e filtros solares.

Converse com a especialista e agende uma consulta clicando aqui.

Confira abaixo 5 opções de tratamentos para combater este problema.

1) Limpeza de pele

A limpeza de pele é indicada, principalmente, para remoção de cravos abertos ou fechados. Serve também para remover as células mortas e para manter a pele macia. A limpeza bem realizada ajuda no equilíbrio das peles seca, normal, oleosa e mista. “A pele mista, oleosa e/ou com presença de cravos exige um cuidado maior, o ideal é fazer uma limpeza de pele por mês e utilizar produtos cosméticos adequados para cada caso. Quem tem um grau de acne muito intenso, deve sempre ter a orientação de um dermatologista para um melhor resultado”, ressalta Dra. Monica.

2) Laser de CO2

Com raios de alcance profundo, o Laser é indicado para o tratamento da acne e das cicatrizes originadas pela doença. “Os feixes de luz emitidos pelo Laser de CO2 penetram na região causando a vaporização e a contração das camadas superiores e médias da pele. O resultado é uma melhora da textura da área tratada”, conta. Por ser um tratamento mais agressivo, ele requer um tempo maior de recuperação. “A aplicação costuma ser acompanhada por um aparelho de ar refrigerado que proporciona mais conforto ao paciente. A recomendação é que a paciente não se exponha ao sol depois do tratamento”.

3) Peelings

Para eliminar comedões fechados, que são aqueles caroços embaixo da pele, vale apostar no peeling como tratamento, que pode ser de ácido retinoico ou de ácido salicílico. No caso das espinhas, vale combinar os dois tipos. “O ácido salicílico regula a oleosidade da pele e tem ação antimicrobiana. Já o ácido retinoico é derivado da vitamina A e costuma ser o mais usado (em concentração de 1 a 5%) para esfoliar a pele e estimular a produção de colágeno”, diz a dermatologista.

Você também vai gostar de ler: Peeling químico: saiba 6 pontos essenciais antes de começar o tratamento.

4) LED azul

Considerado uma evolução na fototerapia, o LED Azul combate a acne de forma eficaz e indolor, atuando na bactéria causadora da acne (Propionibacterium acnes). “Para manter seu metabolismo, essa bactéria produz uma substância química chamada porfirina. A exposição dessa substância à luz do LED azul altera a molécula da porfirina, eliminando a presença da bactéria sem lesionar a pele”, explica.

5) Medicações de uso e tópicos

Nos casos mais graves de acne – quando há cistos, nódulos doloridos e inflamação constante -, são prescritos tratamentos orais com antibióticos, como a Tetraciclina, a Azitromicina ou a Isotretinoína, com efeito seborregulador e anti-inflamatório. “Como são mais agressivos, esses tratamentos deixam a pele bastante sensível e podem provocar efeitos colaterais, como ressecamento excessivo. É fundamental o acompanhamento e a orientação feitos pelo seu dermatologista”, afirma Dra. Monica. Outro tratamento tópico envolve a associação da Clindamicina Gel com o ácido retinóico e derivados.

Conheça mais sobre nossos tratamentos faciais.

Conclusão

A acne é doença que acomete 25% das mulheres adultas, podendo ser causada por alterações hormonais típicas da idade, uso de anticoncepcional, reposição de hormônios, consumo de suplementos, uso de determinados medicamentos, altos os níveis de umidade e de suor, dietas ricas em açúcar e estresse. As mulheres adultas apresentam o problema sempre no mesmo lugar, nas áreas do queixo, mandíbulas e pescoço. Entre as opções de tratamento estão a limpeza de pele, indicada para remoção de cravos abertos ou fechados, o Laser de CO2, que reduz as cicatrizes da acne e melhora da textura da pele, o peeling de ácido salicílico e ácido retinóico, que regula a oleosidade da pele e tem ação antimicrobiana, o LED azul, que combate a bactéria causadora da acne, e os antibióticos orais, indicados para os quadros mais severos. Converse com seu dermatologista sobre o assunto.


Informações do Autor

Monica Linhares

Comentários ( 3 )

  • Pingback:rosacea

  • Michelle Fortes

    Então, do que adianta cuidar da pele somente do lado de fora, se continua a nascer mais espinhas por conta dos hormônios masculinos, eu queria saber sobre um medicamento para curar o desequilibrio hormonal! Qual seria o tratamento para quem tem o DHT alto pro exemplo?

    • Hnadmin

      Oi, Michelle
      Existem inúmeras medicações que podem ser usadas para controlar a acne e os níveis de DTH. Agende uma consulta !

Publicar comentário